Terapia política. Introspecção psicossocial. Análise simbólica.

27 setembro 2010

[1247] O super-ego

Aurélio Paulo da Costa Henriques Barradas, deputado da X e XI legislaturas
(foto: autor desconhecido. Por e-mail)

[1246] Late Monday evening: humor nocturno

"Sou totalmente a favor do casamento homossexual entre alguns dos nossos actuais políticos. Tudo o que contribua para que não se reproduzam é seguramente bom para o futuro do País."
(por e-mail: cortesia de leitora anónima)

26 setembro 2010

[1245] As palavras dos outros (91): justiça fiscal em poucas palavras

«O problema dos impostos é não se cobrar a quem deve, não é aumentar a cobrança a quem já paga.»
(Francisco Louçã, "Fora de Campo", Record on line, 26-9-2010: destaque nosso)

[1244] As palavras dos outros (90): confiança ou submissão?

«(...) a "confiança pessoal" como instrumento de gestão serve aqueles que "pretendem uma organização (seja ela todo o MP ou apenas um departamento) que não se guie sempre por critérios de estrita legalidade e objetividade".
(...) serve ainda aqueles que "pretendem um MP composto por submissos funcionários administrativos".»
(Assembleia de delegados sindicais do SMMP, "Ministério Público: Exercício de funções não pode depender de critérios de 'confiança pessoal'", Expresso on line, 26-9-2010)

[1243] Portugal é mais do que futebol (64): a "stickar" até à glória

Portugal revalida título de campeão europeu

25 setembro 2010

[1242] Portugal é mais do que futebol (63): a remar até à glória

Nuno Barros é campeão mundial em C1
Fernando Pimenta é medalha de bronze em K1 (sub-23)

[1241] Janela indiscreta (9): a quem interessa não avaliar o presente?

«(...) por muito crítica que seja a nossa opinião sobre os governos do actual PR [ou de outros], eles já lá vão (...)! Temos é de avaliar os actuais governos. Democracia é isso. A avalição do presente. Quanto ao passado, temos a História que fará o seu juízo. Faria algum sentido democrático e ético poupar os actuais governantes em nome de erros que se cometeram há 25, 20 ou 15 anos atrás?!
A resposta é simples: nós, eleitores, temos de avaliar os erros e os acertos de cada legislatura e ponderar as alternativas em função dessa avaliação. Houve eleições há precisamente um ano. Pelos vistos, não se avaliou nada, deixou-se tudo na mesma e agora chama-se pelo FMI quando era tudo tão previsível... e muita da previsibilidade foi negada por este mesmo painel, que gostava de "malhar" na Manuela Ferreira Leite e, por isso, teve o que mereceu!»
(Núncio / Portugal Real, comentário a "Cavaco chama partidos a Belém", Expresso on line, 24-9-2010)

[1240] Cognome: o Corajoso

A covardia é um defeito político terrível. É esse o defeito daqueles que exigem que o PR faça aquilo que as oposições, a PGR, o CSM, o BdP, o Tribunal de Contas, os jornais, as universidades, a RTP ou a FPF não conseguem, ou não querem, fazer!

24 setembro 2010

[1239] E V., o que é pode fazer pelo seu país?

*
Um bom sinal para os cidadãos contribuintes, e eleitores, poderia ser dado pelos ex e actuais presidentes da República, primeiros-ministros, ministros, governadores, gestores públicos e afins. Quais os sacrifícios que estão dispostos a fazer por nós, por Portugal?
Aguardamos, ansiosos.
ADENDA: Fátima, Santarém, 24 set (Lusa) - O presidente da Comissão Episcopal da Pastoral Social, D. Carlos Azevedo, disse hoje, no final das Jornadas Nacionais das Comunicações Sociais, que o poder político deve dar o exemplo quando pede sacrifícios aos portugueses e defendeu que um eventual aumento de impostos deve incidir nos que "ganham muito".

[1238] Dúvida metódica

Esta "auscultação" não vem tarde? É que o corpo está moribundo.
[E c]omo quer[em] que o PR dê murros na mesa e expulse a "má moeda" se o povo teve oportunidade de o fazer há precisamente um ano e resolveu antes "pôr paninhos quentes" em cima do moribundo?
(Núncio / Portugal Real, comentário a "Última Hora - Cavaco chama partidos a Belém", Expresso on line, 24-9-2010)

[1237] Pai ou padrasto do Estado Social? (2)

É a praxis política que define um governante. Mas a tradição da oratória ainda é o que era... em Portugal!
(Núncio, idem)

[1236] Pai ou padrasto do Estado Social?

«Como reage às declarações do economista Joel Hasse Ferreira, membro da comissão política do PS, defendendo a redução de salários na função pública?», quis saber [o ciberleitor] Fonseca Abrão. «Presumo que essa declaração constitua a mais recente prova de que o PS defende o Estado social... :)», referiu [Paulo Portas].

23 setembro 2010

[1235] Um péssimo sinal ou uma verdade inconveniente?

A corda foi partida quando, há precisamente um ano, se gerou um clima comunicacional e jornalístico desfavorável à mudança, que veio a condicionar os resultados eleitorais.
Só agora descobrem que estamos em crise profunda e precisamos de seriedade e rigor? Não ouviram durante 18 meses o que Manuela Ferreira Leite tinha para dizer, até aqui neste mesmo jornal [Expresso], sobre o desemprego, os novos pobres, os investimentos megalómanos e a asfixia democrática?
Tudo, mas tudo, está hoje demonstrado. Não vale a pena agora pedirem perdão, porque quem não ama a verdade e o seu país não o merece.
(Núncio / Portugal Real, comentário a "Um péssimo sinal", Martim Silva, Expresso on line, 23-9-2010)

[1234] Early Thursday afternoon: humor celestial

Estava Ossama Bin Laden a falar com Deus quando Lhe pergunta: "Como estará o Afeganistão dentro de 10 anos?"
Deus responde: "Estará todo destruído pelas bombas enviadas pelos Estados Unidos."
Ossama sentou-se e chorou...
Estava Barak Obama a conversar com Deus e pergunta-Lhe: "E a América como estará dentro de 10 anos?"
Deus diz-lhe: "Totalmente contaminada pelas bombas químicas despejadas pelo Irão."
Obama sentou-se e chorou...
Dilma Roussef também veio ter com Deus para Lhe perguntar: "Deus, como estará o Brasil dentro de 10 anos se eu for eleita Presidente?"
Aí Deus sentou-se e chorou...
(cortesia da leitora "Beth")

[1233] Podes falar, desde que fales bem de mim!

Embaixador honorário (ou seja, que não é de carreira) tem igual dignidade funcional e protocolar. E a sua comissão de serviço deve respeitar as regras de qualquer comissão de serviço público. Fazer cessar uma comissão de serviço dois dias após a publicação de uma entrevista não tem nada a ver com a rotatividade do serviço diplomático, que já estava definida dois meses antes. Mais parece a decisão de um processo disciplinar sem garantias de defesa!
(Núncio / Portugal Real, comentário a «Carrilho acusa Sócrates de responsabilidade na sua "demissão"», Expresso on line, 22-9-2010)

17 setembro 2010

[1232] As palavras dos outros (89): mau? Não, péssimo!

«A cobertura jornalística do caso Casa Pia é, desde a sua origem, paradigmática do pior que se faz em jornalismo».
(Conselho Deontológico do Sindicato dos Jornalistas, "Conselho Deontológico critica cobertura jornalística do caso Casa Pia", A Bola on line, 17-9-2010: sublinhado nosso)

15 setembro 2010

[1231] Citações do mundo: so f*cking real!

«Consenso é a ausência de princípios.»
(Margaret Thatcher: sugestão do leitor "Marquês de Jackthay")

[1230] As palavras dos outros (88): os inimputáveis

«(...) hoje, as nossas sociedades são incapazes de aceitar que alguém escolha livre e conscientemente um caminho, digamos, sinuoso. As pessoas não querem aceitar que, por exemplo, a vontade de poder tem vários caminhos, e muitos desses caminhos são ilegais e ilegítimos.»
(Henrique Raposo, "A vulgata psicológica", A Tempo e a Desmodo, Expresso on line, 14-9-2010)

07 setembro 2010

[1228] Angola chique e choque!

«Muitos dos responsáveis pelos interrogatórios, pela tortura e pelos massacres angolanos foram, por sua vez, torturados e assassinados. Muitos outros estão hoje vivos e ocupam cargos importantes. Os seus nomes aparecem frequentemente citados, tanto lá como cá. Eles são políticos democráticos aceites pela comunidade internacional. Gestores de grandes empresas com investimentos crescentes em Portugal. Escritores e intelectuais que se passeiam no Chiado e recebem prémios de consagração pelos seus contributos para a cultura lusófona. Este livro é, em certo sentido, desmoralizador. Confirma o que se sabia: que a esquerda perdoa o terror, desde que cometido em seu nome. Que a esquerda é capaz de tudo, da tortura e do assassinato, desde que ao serviço do seu poder. Que a direita perdoa tudo, desde que ganhe alguma coisa com isso. Que a direita esquece tudo, desde que os negócios floresçam. A esquerda e a direita portuguesas têm, em Angola, o seu retrato. Os portugueses, banqueiros e comerciantes, ministros e gestores, comunistas e democratas, correm hoje a Angola, onde aliás se cruzam com a melhor sociedade americana, chinesa ou francesa.»
(António Barreto, "Angola é nossa!", Público, 13-4-2008, sobre o livro, editado em 2007, "Holocausto em Angola", de Américo Cardoso Botelho, Edições Vega. «O subtítulo diz: 'Memórias de entre o cárcere e o cemitério'. O livro é surpreendente. Chocante». Cortesia do leitor "Réprobo".)

05 setembro 2010

04 setembro 2010

[1226] Serviço público (42): a doce saúde

Stevia Rebaudiana, em vez de aspartame.

[1225] Janela indiscreta (8): e agora?

Será que o blogue de CC vai mesmo continuar o inquérito, inacabado, do Ministério Público?

[1224] Late Saturday morning: dúvidas linguísticas

1. "Esse miúdo não pára quieto, parece que tem bichos carpinteiros" ou "Esse miúdo não pára quieto, parece que tem bichos no corpo inteiro"?
2. "Quem tem boca vai a Roma" ou "Quem tem boca vaia Roma"?
3. "Cuspido e escarrado" ou "Esculpido em Carrara"?
4. "Quem não tem cão, caça com gato" ou "Quem não tem cão, caça como um gato"?
(cortesia do leitor "panfúcio")

[1223] Estado das profissões e ofícios

Os políticos fazem "justiça". Os médicos gerem hospitais. Os professores administram escolas. Os guardas prisionais gerem negócios. Os diplomatas abrem empresas. Os magistrados fazem política.
O cidadão não faz nada. Deve ser porque de médico, poeta e louco todos temos um pouco...

Arquivo do blogue

Seguidores