Terapia política. Introspecção psicossocial. Análise simbólica.

31 março 2010

[1136] Tanta falta de vergonha e tanta longevidade...

«Foi apenas uma decisão do C[onselho] de J[ustiça] que alterou uma decisão da C[omissão] D[isciplinar] e nós, ao longo destes quatro anos, já vamos em 470 processos disciplinares decididos e, portanto, este foi mais um recurso dos 66 apresentados no CJ. Durante estes quatro anos, já tivemos três CJ, quatro presidentes do CJ e em 85 por cento dos recursos tivemos ganho total. Só em três processos tivemos uma alteração, com uma revogação das decisões.»
«Neste campo das agressões dos jogadores, a desproporção era notória e a decisão do CJ veio demonstrá-la», assinalou Ricardo Costa, apontando a definição de “recinto desportivo” como fulcral para a decisão. Segundo o presidente da CD da Liga, «basta mudar de um artigo para o outro, de uma agressão contra assistente de recinto desportivo para uma agressão contra o público, para se passar de três e quatro meses para três e quatro jogos».
«Vou sair da CD com 37 anos e o futebol foi uma excelente escola de vida», sobretudo pela “falta de princípios e valores das pessoas.»
(Ricardo Costa, presidente da Comissão Disciplinar da Liga de Futebol, entrevista à SIC Notícias, 30-3-2010)

27 março 2010

[1134] Late Saturday morning: depois da alegria eleitoral, o humor negro

Cinco cirurgiões descreviam os seu pacientes preferidos. Dizia o primeiro:
- Gosto de operar contabilistas porque, quando os abres, todos os órgãos estão numerados e ordenados.
O segundo retorquiu:
- Sim, mas melhor ainda são os electricistas porque todos os órgãos estão codificados por cores. Não há qualquer risco de te enganares.
Respondeu o terceiro:
-Qual quê! Os melhores são os bibliotecários. Dentro deles tudo está ordenado alfabeticamente.
O quarto cirurgião opinou:
- Rapazes, não há como os mecânicos. Eles até transportam uma reserva dos órgãos que têm de ser substituídos.
Finalmente, disse o quinto:
- Deixem-me discordar de todos vocês, meus caros companheiros, mas os nossos melhores pacientes são definitivamente os políticos. Não têm coração, não têm estômago nem tomates.
(cortesia do leitor jsilva: por e-mail)

26 março 2010

[1133] Líderes procuram-se

Na véspera das eleições de que resultará a escolha do novo presidente do PSD, fechamos a consulta que também auscultou a opinião de 46 leitores (que não asseguram uma amostra representativa) sobre qual deveria ser o sucessor de José Sócrates:
1. No PSD, Paulo Rangel foi o mais votado, por oito leitores (24%), embora treze outros (38%) preferissem um que não os quatro propostos. Aguiar Branco teve cinco votos (14%) e Marcelo e Passos Coelho quatro cada um (12%).
2. No PS, os nomes sugeridos também não agradaram à maioria. Catorze leitores (48%) preferiam outro, António Costa teve oito votos (28%), António José Seguro cinco (17%) e Jaime Gama e Silva Pereira um voto cada (3%).
Pouco entusiasmo no segundo caso, muita dispersão no primeiro.

[1132] As palavras dos outros (77): onde estava em Setembro de 2009?

«Corremos o risco de viver tempos dramáticos
Teixeira dos Santos, ministro das Finanças desde Junho de 2005

25 março 2010

[1131] O sumo das laranjas de Mafra

Avaliamos hoje, com base em quatro critérios que nos parecem os mais adequados para definir um político com pretensões a ocupar lugar-chave nos órgãos do Estado, os quatro candidatos à presidência do PSD. Os critérios são (1) capacidade política, (2) coerência discursiva, (3) integridade e (4) reconhecimento profissional. Cada critério é avaliado de 0 a 5 (a soma máxima é 20).
*
Aguiar-Branco........ (1) 2,5 (2) 3,0 (3) 4,0 (4) 4,0 (T) 13,5
Castanheira Barros. (1) 1,5 (2) 2,5 (3) 3,5 (4) 3,0 (T) 10,5
Passos Coelho....... (1) 3,5 (2) 3,0 (3) 3,0 (4) 2,0 (T) 11,5
Paulo Rangel......... (1) 4,0 (2) 3,5 (3) 3,0 (4) 4,0 (T) 14,5

24 março 2010

[1130] Late evening: Amor de perdição

Ao chegar a casa, no final da noite, diz o marido à mulher, já deitada:
- Querida, quero amá-la.
A mulher, meio ensonada, responde:
- A mala? Sei lá onde está! Use a mochila, ok? Está no guarda-roupa do quarto de visitas.
- Não é isso, querida. Hoje vou amar-te.
- Por mim, homem, podes ir a Marte, Júpiter ou até à p*** que te p****, desde que me deixes dormir em paz!
Moral da história: o homem deve chegar a casa e dizer simplesmente: Mulher, prepara-te que hoje vais ao castigo!

13 março 2010

[1127] A verdade não compensa

A actual crise financeira internacional começou em 2006 (com a chamada "crise do subprime": queda brusca dos preços de imóveis), continuou em 2007 (com a primeira falência de um banco britânico em 150 anos, o Northern Rock) e acentuou-se profundamente no Outono de 2008 (com a falência do Lehman Brothers).
Manuela Ferreira Leite, assim que tomou posse (em Maio desse ano), enfrentou corajosamente o problema, invocando a chamada "emergência social". Estupidamente ignorada, em Setembro de 2009 - no que considero uma autêntica fraude política e eleitoral -, disseram-nos que, afinal, teríamos um futuro brilhante.
Subitamente, na noite de 27/9, começou a crise portuguesa. O mundo já estava mergulhado nela há mais de três anos! E, nesses três anos, o que fizeram os nossos governantes que agora imploram por consensos no OE e no PEC? Mentiram, iludiram, insultaram, desgovernaram.
(Núncio, comentário a "Sair com razão, mas sem glória", Expresso on line, 13-3-2010)

[1126] Subitamente, numa noite de nevoeiro...

E sobre as causas da implementação dessa "política de austeridade que vai ser servida como menú aos Portugueses durante alguns anos" nem uma palavra... Não estávamos, em Setembro de 2009, no melhor dos mundos, com cinco linhas de TGV, com aeroporto, com três auto-estradas entre Lisboa e Porto, com recentes aumentos de 2,9% para trabalhadores públicos, com melhor resistência à crise do que a Alemanha e a França, com desemprego abaixo dos 9%, com défice público em torno dos 5%?
Afinal, a crise começou, inesperadamente, na noite de 27/9!
(Núncio, comentário a "Congresso dura dois dias", Expresso on line, 13-3-2010)

[1125] As palavras dos outros (76): e a doida era eu?!

«Nunca quiseram ouvir os nossos avisos e agora reclamam o nosso consenso.»
(Manuela Ferreira Leite, "Sabíamos que a história ia dar-nos razão", A Bola, 13-3-2010)

[1124] Serviço público (34): segurança pública

NÃO VÁ SOZINHO!
Se estiver com amigos ou familiares num lugar público (restaurante, bar, etc.) e, de repente, chegar alguém a perguntar de quem é o carro tal, côr tal, matrícula tal, estacionado ali na rua, pedindo ao dono que dê um pulo lá fora e o estacione melhor, não vá sozinho, ainda que seja de dia. O mais provável é, ao chegar ao carro, ser assaltado. Levam-lhe o veículo, os valores e tem sorte se não ficar maltratado!
(segundo conselho da PSP: recebido por e-mail)

[1123] And the loser is...

Aguiar Branco é polido, sensato, previsível.
Passos Coelho é suave, generalista, fotogénico.
Paulo Rangel é inteligente, corajoso, impulsivo.
O povo é que sabe de quem precisa...
(Núncio, comentário a "A antropologia do PSD: primeiras notas", Henrique Raposo, A Tempo e a Desmodo, Expresso on line, 13-3-2010)

10 março 2010

07 março 2010

[1120] As palavras dos outros (74): Riscos? Quais riscos?

«Seria preferível que o governo reconhecesse a existência de riscos, em vez de atemorizar a população para aprovar leis que restringem as liberdades, o que é precisamente um dos objectivos do terrorismo: que vivamos atemorizados sob um estado policial
(Stella Rimington, directora-geral do MI5 de 1992 a 1996, em entrevista ao "La Vanguardia", transcrita no Daily Telegraph, em Fevereiro de 2009, citada em "O tsunami somos nós", José Esteves, TEK Opinião, 4-3-2010: destaque nosso)

05 março 2010

[1119] As palavras dos outros (73): só as minhas paixões são legítimas

«Todos nós temos paixões políticas e clubísticas e ideológicas, filosóficas e religiosas. Eles [os magistrados] também as têm.»
(Marinho Pinto, Bastonário da Ordem dos Advogados, "Poder judicial está empenhado em derrubar o primeiro-ministro", Jornal de Negócios on line, 5-3-2010)
*
E as suas paixões quais são, Sr. Bastonário? E serão confessáveis? Olhe que não, olhe que não...

04 março 2010

[1118] Momento intimista

Que dia horrível!
Esta manhã soube que um amigo, alemão, tentou suicidar-se pelo mesmo meio do malogrado Enke. Está em situação clínica crítica e deixa a mulher e os dois filhos perplexos e confusos.
Acabo de ler esta notícia do menino transmontano, episódio que considero muito grave, intolerável. Como é possível permitirmos que se desestruture, à nossa frente, a família, esta sociedade, um povo? A crueldade do "bullying", a indiferença de pais e professores, o desprezo político pela escola, a relatividade da vida...
A desregulação dos costumes e, ao mesmo tempo, a hiper-regulação procedimental do quotidiano é um paradoxo marcado pelo desprezo do indivíduo. Nada importa a não ser uma certa ideia de progresso que mais não é do que um cemitério de valores e afectos...

[1117] Serviço público (33): justiça social

[1116] Em Portugal, é mais leões a ronronarem...


(*"Ladra como um cão"; cortesia do leitor Jortex)

01 março 2010

[1114] Early Monday evening: humor pré-primaveril


A turma de caloiros da Faculdade de Direito resolveu transformar uma célebre frase publicitária, através de uma inscrição nas camisetas com que iam para o campus universitário.
(cortesia do leitor panfúcio)

Arquivo do blogue

Seguidores